Esta Edição

Neste ano, o Festival de Inverno apresenta uma homenagem ao Tropicalismo, movimento de inovação estética e musical que sacudiu o ambiente da cultura popular brasileira, entre 1967 e 1968. Seus participantes formaram um grande coletivo, com destaque para os cantores-compositores Caetano Veloso e Gilberto Gil, além das participações da cantora Gal Costa, do cantor-compositor Tom Zé e da banda Mutantes. A cantora Nara Leão e os letristas José Carlos Capinan e Torquato Neto completaram o grupo, que teve também o artista gráfico, compositor e poeta Rogério Duarte como um de seus principais mentores intelectuais.

O pró-reitor adjunto de Extensão, Wilson Pereira, conta que o legado desses artistas foi um dos aspectos que levou a organização do festival a fazer essa homenagem. "Eles influenciaram e ainda influenciam novos artistas brasileiros. Além disso, grandes nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé e Gal Costa estão na ativa até hoje. Isso merece ser homenageado e lembrado durante o festival". O festival homenageia os 50 anos do álbum "Tropicália ou Panis et Circencis", lançado por Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Nara Leão, Os Mutantes e Tom Zé, acompanhados dos poetas Capinam e Torquato Neto e do maestro Rogério Duprat, em julho de 1968.

Os tropicalistas deram um histórico passo à frente na lógica da produção brasileira. O cenário musical pós-bossa nova e a definição de "qualidade musical" no país estavam cada vez mais dominados pelas posições tradicionais ou nacionalistas. Contra essas tendências, o grupo baiano e seus colaboradores procuraram universalizar a linguagem da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial, como o rock, a psicodelia e a guitarra elétrica.

O festival será realizado de 6 a 22 de julho. Ao todo, serão duas semanas de eventos, shows e oficinas nas cidades de Ouro Preto, Mariana e João Monlevade. Desenvolvido desde 2004 pela UFOP, o festival possui a proposta extensionista de fomentar o diálogo entre a sociedade e o universo artístico-cultural. Ao longo dos seus anos de história, configura-se como um dos mais importantes eventos do calendário cultural brasileiro, contribuindo, assim, com o desenvolvimento local, seja pelo caráter democrático de suas atividades, seja pela inclusão de comunidades periféricas no processo.

Festival inverno ouro preto mariana tropicalia 2018 footer apoio