Seminário – 80 Anos de Ouro Preto Patrimônio Nacional: Desafios e Perspectivas

Local: Salão São João Del Rei - Centro de Artes e Convenções

Começa em: 10 de Julho de 2018, 09:00

Termina em: 11 de Julho de 2018, 16:00

Descrição:

Realização: Instituto do Patrimônio Histórico Nacional e Artístico - IPHAN
Classificação: 16 anos
Bilheteria: Gratuito
Público-alvo: profissionais atuantes na área de patrimônio imaterial, alunos do curso de museologia, história e turismo, comunidade em geral.
Vagas: 150
Inscreva-se.

Ouro Preto foi uma das primeiras cidades mineira a ser reconhecida como patrimônio nacional. O Conjunto Arquitetônico e Urbanístico da Cidade de Ouro Preto foi tombado, em 20 de abril de 1938, e inscrito no Livro do Tombo das Belas Artes. Desde a criação do IPHAN, em 1937, sua atuação em Ouro Preto se iniciou, servindo como referência para as várias definições conceituais, a partir de embates internos e soluções práticas para problemas que surgiram no cotidiano da cidade. Nesse viés, o tratamento dado aos conjuntos urbanos tombados consolidou conceitos que balizam a ação institucional desde então.

A partir da constituição de 1988, o campo do patrimônio se ampliou, com a inserção da dimensão imaterial do patrimônio cultural, que passa a cuidar dos bens portadores de referência, ação, identidade e memória dos diferentes grupos que formam a sociedade brasileira.

Portanto, 80 anos depois do tombamento, a partir da integração dessas duas dimensões, patrimônio imaterial e material, propomos nesses dois dias de seminário trazer reflexões sobre os desafios da proteção desse conjunto urbano, olhando o patrimônio nas suas mais variadas nuances de forma integral visando o desenvolvimento integrado da área cultural e econômica.

Programação

09h - Abertura

009h30 - Mesa 1

Ouro Preto: 80 anos de tombamento, o papel da União, do Estado e do Município na preservação.
George Alex da Guia - Analista de infraestrutura em exercício descentralizado no Departamento do Patrimônio Material e Fiscalização-DEPAM/IPHAN
Michele Abreu Arroyo - Presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais
Zaqueu Astoni Moreira - Secretário de Cultura e Patrimônio de Ouro Preto

Mediador: Maria Cristina Cairo Silva - Superintendente da Secretaria de Cultura e Patrimônio de Ouro Preto.

14h - Mesa 2

A municipalidade e o desafio da inserção da preservação no desenvolvimento regional
Débora da Costa Queiroz - Coordenadora do PAC Cidades Históricas em Ouro Preto
Efraim Leopoldo Rocha - Secretário de Cultura, Turismo e Patrimônio -Prefeitura Municipal de Mariana
Maria Cristina Rocha Simão – Professora do Curso Superior de Tecnologia em Conservação e Restauro do IFMG Campus Ouro Preto e pesquisadora do Laboratório de Direito Urbanístico - LADU/ UFRJ

Mediador: Sandra Maria Antunes Nogueira - Professora adjunta do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Ouro Preto

16h - Intervalo

16h15 – Mesa 3

Museu e a consolidação do destino turístico da cidade – discutir a atuação de museus na cidade, como agente de preservação, de difusão e de fomento a atividade turística
Deise Cavalcante Lustosa – Diretora do Museu da Inconfidência
Márcia Arcuri – Chefe do Departamento de Museologia da UFOP-DEMUL/EDTM
Ingrid da Silva Borges – Diretora Executiva do Sistema de Museus de Ouro Preto.

Mediador: Célia Maria Corsino - Superintendente do IPHAN em Minas Gerais

11/07 – quarta-feira

09h - Mesa 4

Políticas públicas de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial e suas interseções com a cidade – IPHAN
* Hermano Fabrício O. Guanais e Queiroz - Diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial/IPHAN

O lugar como “intangível” na paisagem cultural
* Natália Brayner - Coordenadora de Apoio a Bens Registrados do Departamento de Patrimônio Imaterial/IPHAN

* Mediações: Maria Cecília Londres Fonseca

14h - Mesa 5

Cultura popular e patrimônio nas cidades contemporâneas - Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP)
Maria Elisabete Costa - Chefe da Divisão de Pesquisa do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular.
Caso Pelotas – processo de registro das tradições doceira na região de Pelotas e antiga Pelotas
Beatriz Muniz Freire - Técnica da Superintendência do IPHAN do Rio Grande do Sul
A Política de Patrimônio Imaterial do Município de Ouro Preto
João Paulo Martins - Diretor do Programa de Patrimônio Imaterial de Ouro Preto

Mediação – Célia Maria Corsino – Superintendente do IPHAN em Minas Gerais

Clique para se inscrever!

Festival inverno ouro preto mariana tropicalia 2018 footer apoio