Fórum das Artes: Seminário “Artes e Culturas”: experiências e resistências

Data de Início: Seg, 17 de Julho de 2017

Data de Término: Qui, 20 de Julho de 2017

Horário: 14:03

Local: Departamento de Música - DEMUS - Campus Universitário - Morro do Cruzeiro

Coordenação: Virgínia Buarque e Nara Rúbia de Carvalho Cunha

Realização: IFAC/UFOP
Classificação - 14 anos
Bilheteria: Gratuito
 

Apresentação 
Vivenciamos um paulatino desacreditar em maneiras de viver e de relacionar-se que até então haviam norteado projetos ético políticos e escolhas pessoais. Lidamos, a cada dia, em inusitadas mudanças, nos mais diferentes campos (da tecnologia, das identidades, da atuação profissional etc.), as quais são geralmente acompanhadas por forte violência simbólica e até física, como a desqualificação de trajetórias biográficas perante exigências do mercado, a intensa solidão intersubjetiva e a insegurança diante de políticas públicas que não agregam reivindicações e direitos sociais.
 
Diante de tais desafios, o Fórum das Artes 2017 promove um Seminário que aborda as potencialidades das Artes e a das Culturas como instâncias propiciadoras quer de alternativas de sentido à vida social, quer de resistências à desqualificação de memórias, saberes e fazeres que, embora significativos para diferentes sujeitos e grupos, não são integrados, de forma dialógica, às mudanças em curso. Sensibilidades emergentes ou marginais, criações pontuais, desviantes, em redes... Afinal, como atuam as Artes e as Culturas na contemporaneidade? Podem elas viabilizar uma existência permeada por afetos, concepções, projetos e práticas efetivamente compartilhados?
 
Para viabilizar tal debate, o Seminário organizou cinco mesas temáticas, cada uma delas voltada para um eixo problematizador das Artes e das Culturas: Inclusões, Inovações, Memórias, Diversidades e Formação. Nessas mesas, teremos a oportunidade de conhecer diferentes experiências artísticas e culturais que reinterpretam o cotidiano, em seus limites e desafios.
 
Uma sexta mesa irá entrecruzar todas essas contribuições, compondo uma narrativa, em diferentes vozes, sobre a potencialidade das Artes e das Culturas como experiência e resistência no tempo presente. Em paralelo, será promovida uma visita guiada ao Museu Casa Guignard, com apoio de intérpretes de LIBRAS, bem como o trajeto expositivo “A música no Leste Europeu através dos diários de Carlota Santoro”, ações culturais que entrecruzam os cinco eixos problematizadores do Fórum.

Programação 

17/07 - segunda-feira 

16h - Abertura: Coral da UFOP - coordenação: Edésio de Lara Melo (professor do Departamento de Música da UFOP, bacharel e mestre em Música e doutor em História pela UFOP)
 
16h30 - Mesa temática: Inclusões
Manifestações das Línguas de Sinais: escritas e literaturas - Pedro Zampier (Bacharel em Letras pela UFSC, intérprete de LIBRAS na UFOP, mestrando em Estudos da Linguagem pela UFOP) 

A dupla face do Direito na sua relação histórica com a condição feminina no casamento – Giulle Vieira da Mata (professora de Sociologia na UFOP, bacharel em Direito, doutora em Sociologia pela UFMG).
 
19h - Mesa temática: Inovações
Registos musicais contemporâneos - Renato de Aguiar (músico e integrante da ASLA - Association Suisse des Luthiers et Archetiers)
Projeto Cores e Terras de Ouro Preto: arte e sustentabilidade - Gélcio Fortes (artista plástico, diretor do Museu Casa Guignard).

Local: Local: Instituto de Filosofia Artes e Cultura-IFAC/UFOP - Rua Coronel Alves 55, Centro – Ouro Preto-MG - Telefones: (31) 3559 1726/1732/1728

18/07 terça-feira 

13h30 às 14h30 - Visita guiada no Museu Casa Guignard com intérpretes de LIBRAS
O Museu Casa Guignard expõe acervo de pinturas e desenhos de Alberto da Veiga Guignard, “considerado um dos maiores pintores e desenhistas brasileiros do séc. XX. Encantado pela paisagem das cidades históricas de Minas, especialmente Ouro Preto, mitificou o tema numa obra que se impôs ao respeito e admiração do Brasil” (www.museuguignard.mg.gov.br). Através de intérpretes de LIBRAS, será oferecida visita guiada ao Museu, acessível também a portadores de necessidades especiais no campo auditivo. Tradutores de LIBRAS: Natielly Ferreira e Marcelo Santana
Vagas: 25 vagas
Local: Museu Casa Guignard, rua Conde de Bobadela 110 – Centro - Ouro Preto/MG - Tel.: (31) 3551-5155
 
19h - Mesa temática: Memórias
Homeopatia e memórias do corpo - Núncio Antônio Araújo Sól (médico, doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp)
Memórias urbanas e educação das sensibilidades - Nara Rúbia de Carvalho Cunha (professora de História na SEE-MG, doutora em Educação pela Unicamp)
Arquitetura da ausência em Ouro Preto: cultura visual e memória - Alexandre Augusto de Oliveira (professor de História na SME-Jundiaí e do curso de Pedagogia da Fundação Padre Anchieta; mestre em Artes Visuais pela Unesp)

19/07 quarta-feira 

16h - Mesa temática: Diversidades
Música e Oriente - Marta Castello Branco (professora do Departamento de Música da UFJF, doutora em Música pela UdK-Berlin)
O fazer da arte contemporânea na escola: diálogos possíveis - Fernanda Dodi (professora de Artes na Fundação Antônio Antonieta Cintra Gordinho, bacharel em Artes, especialista em Linguagens da Arte pela USP)
 
19h - Mesa temática: Formação
O Canto da Odisseia e as narrativas docentes - Cynthia Simioni França (professora de História na SME-Londrina e na UNOPAR, doutora em Educação pela Unicamp)
Casa Viva Educações e Cultura - Christian Galhardo Bravo (bacharel em Filosofia pela UFOP)

20/07 quinta-feira 

9h - Mesa plenária para sistematização dos debates promovidos no Seminário sobre arte e cultura – coordenação Virgínia Buarque (professora do Departamento de Música da UFOP, doutora em História pela UFRJ, pós-doutora em Teologia pela FAJE).
 
Fechamento: apresentação musical de Marta Castello Branco
Vagas: 60 (para cada mesa)
Carga horária: 12h
Público alvo: professores, estudantes, agentes culturais e comunidade em geral.
Valor da inscrição: gratuita
Local: Instituto de Filosofia Artes e Cultura-IFAC/UFOP - Rua Coronel Alves 55, Centro – Ouro Preto/MG - Telefones: (31) 3559 1726/1732/1728
 
Trajeto expositivo “A música no Leste Europeu através dos diários de Carlota Santoro”
Abertura de exposição que convida os participantes a um percurso por países do Leste Europeu e da União Soviética na década de 1950 através do diário de Carlota Santoro. Tendo acompanhado seu marido, o compositor e pianista Claudio Santoro, nesta viagem, ela registrou valiosas anotações sobre a produção cultural e o contexto político ali vigentes, perspectivados sob sua condição de mulher e de musicista. A exposição contará com reproduções de fotografias e escritos de Carlota, juntamente com peças musicais selecionadas para audição. Durante a abertura, a filha de Carlota, Sônia Santoro, procederá a uma roda de conversa com o público.
Vagas: 40