Em domingo ensolarado, corredor cultural leva arte e cultura para Mariana

Publicado por Mayara Portugal em 18 de Julho de 2017, 19:34
Última atualização em 09 de Agosto de 2017, 12:43

Crianças e adultos participaram das atividades. Fotos: Fernanda Covalski

No aniversário de 321 anos de Mariana, comemorado no último domingo (16), a festa começou cedo. Ao meio-dia, artesãos de bairros e distritos do município já recebiam turistas e moradores na Feira de Artesanato alocada em frente a Igreja da Sé. Alguns metros à frente, na Praça Gomes Freire - conhecida como Jardim - acontecia a primeira edição do Corredor Cultural na cidade.

Dando início ao corredor cultural, a Trupe do Festival percorreu o Jardim convidando o público, formado por crianças, jovens e adultos para assistir ao espetáculo. Aos poucos, cada um foi se aproximando para ouvir as histórias contadas pela Trupe, composta por membros do Grupo de teatro ouro-pretano Residência. 

Segundo Juliano Mendes, diretor do grupo, foram preparadas duas apresentações diferentes para o Festival. A primeira é um cortejo que percorre as ruas de Mariana e Ouro Preto, interagindo com o público e divulgando o evento; a segunda é o Espetáculo 50 anos de Festival, onde a Trupe tem o desafio de contar a história do evento em apenas 20 minutos.

Na ocasião, foi apresentado ao público marianense o espetáculo da história do Festival. Com dinâmica teatral, música e dança, a Trupe fez o público rir e se emocionar com a narrativa contada. Para Juliano, “o Festival [de Inverno] ferve as duas cidades de uma maneira muito importante, principalmente em 2017, com o momento de terrorismo político que se vive no Brasil. Resistir agora é fundamental”, afirma. 

Além do espetáculo da Trupe, o projeto “Poesia ao pé do ouvido” também fez a alegria do público no Jardim. Caracterizado, um casal de atores perambulava pela praça oferecendo às pessoas uma poesia, recitada ao pé do ouvido através de um cano enfeitado artesanalmente. Para a apresentação no Festival, os atores levaram poemas da escritora mineira Edméia Faria.

A ação é parte de um outro projeto, intitulado “Poesia a La Carte”, onde artistas levam arte em forma de música, poesia e apresentações cênicas para diversos públicos. De acordo com Amélia Correa Passos, atriz do grupo, participar do Festival de Inverno está sendo uma experiência maravilhosa. “Apesar desse momento de crise, de dificuldade e de falta de dinheiro, o Festival está aí, a arte está aí e os artistas estão na rua. É isso o que importa”, declara.

Em outro canto do Jardim, crianças e adultos formavam fila para assistir à exibição do teatro de bonecos. A peça “Sancho Pança Vazia”, apresentada pela Cia. Nau dos Sonhos, fez o público se organizar em fila para assistir ao espetáculo.  De um lado da caixa de lambe-lambe, o ator Bruno Regenthal arrumava os bonecos para começar a primeira apresentação; do outro, o público aguardava sua vez na fila.

Segundo Bruno, em termos de estética e narrativa, o espetáculo não contém falas, o que traz diferentes significados para o espectador. "O público assiste aos bonecos de papel se movimentando através do cenário que se assemelha a um livro de literatura com desenhos em lápis aquarelados, além dos jogos de luzes no cenário, que ajudam a criar um dinamismo pra cena, bem como a trilha sonora, a qual o espectador escuta por um fone.", explica. 

O ator destaca também a diferença de resposta entre adultos e crianças ao assistir à peça. De acordo com ele, embora a classificação do mini-espetáculo seja livre, a identificação varia de acordo com o interesse do espectador. A criança assiste de forma a entender as formas de maneira mais estética e despretenciosa, focando nas surpresas que possam ter. Já os adultos costumam focar seu divertimento no entendimento racional do mini-espetáculo, perguntando sobre o contexto sócio político envolvido e a dificuldade e qualidade estética envolvida neste fazer artístico. 

Alana, de 10 anos, passeava pelo Jardim com o avô e ficou curiosa para assistir a peça. Tímida, a menina disse que gosta muito de arte e sempre vai às atrações do Festival de Inverno. “Achei a apresentação e a história muito legal”, conta.

O Corredor Cultural acontece novamente no próximo fim de semana em Mariana e em Ouro Preto. Para saber mais, acesse a programação aqui no site.

Mais Notícias
Cultura e aprendizado no Festival de Inverno

A essa hora, o Festival de Inverno já se findou. Foi-se embora, assim como muitos turistas, artistas e espetáculos qu...Ler mais

Cortejo do Zé Pereira marca encerramento do Festival de Inverno

Ao som de clarins, bumbos e tarois, o cortejo da agremiação mais antiga em atividade no Brasil encerrou o Festival de...Ler mais

Pilares do Festival de Inverno são debatidos em seminário cultural

Repensar a música, a arte e a cultura de maneira abrangente. Foi com essa premissa que aconteceu, na última semana do...Ler mais