Abertura do Festival de Inverno em João Monlevade traz sucessos da Tropicália
Publicado por Agliene Melquíades
10 de Julho de 2018, 15:29
Abertura festival ufop jm 14
Foto: Pedro Américo / Coletivo Variável

A solenidade de abertura do Festival de Inverno em João Monlevade ocorreu na noite desta segunda-feira (09), no auditório do Instituto de Ciências Exatas e Aplicadas (ICEA), com a presença de representantes da UFOP e do poder público municipal. É a segunda vez que o evento conta com programação na cidade, a primeira foi no ano passado.

As autoridades presentes manifestaram a intenção de que o festival ocorra todos os anos no município e passe a integrar a agenda de eventos culturais oficiais da cidade. ­­O evento foi comparado ao Tropicalismo por ser libertador, inovador e criativo, assim como o movimento de artistas que trouxe rupturas em diversos sentidos.

Para a estudante do curso de Engenharia Elétrica do ICEA, Gizelle Emanuela da Silva, a presença do festival na cidade marca ainda mais a atuação da Universidade no local. "Questionávamos o porquê de o Festival não abranger João Monlevade, que também é parte da UFOP. Estamos muito felizes agora, com ele [festival] aqui, me sinto mais parte da Universidade. O evento faz diferença na cidade e a programação, aberta ao público, cria uma integração entre os estudantes e a comunidade, pois ainda há um certo distanciamento", conclui.

O integrante da curadoria de música do festival e ex-aluno da UFOP, Daniel Bahia, vê no evento um espaço para que artistas que possuem pouca visibilidade apresentem seu trabalho. "Podemos dar oportunidade a vários artistas, que são pouco divulgados nos meios de comunicação maior, de mostrarem a sua arte. O tropicalismo trouxe o sincretismo musical, que devemos adotar ainda hoje. É muito importante mostrar à sociedade que existe coisa nova, e não apenas o que a mídia impõe", destaca. 

SHOW - Foi com a interpretação de "Podres Poderes", canção composta por Caetano Veloso na década de oitenta, que os artistas Júlio César Linhares da Silva e Rômulo Ras subiram ao palco para o Musical de Abertura do Festival de Inverno em João Monlevade. Os cantores também agraciaram o público com a música Panis et Circenses, composta por Caetano e Gilberto Gil e lançada em 1968, essa canção foi um hino do movimento tropicalista. 

O cantor Júlio César lembra que "Podres Poderes" é um manifesto que retrata contextos políticos nacionais e internacionais. Ele, que também é estudante do ICEA, vê na apresentação uma forma de aproximação com o Instituto. "Mostra que sou parte deste local. É o sentimento que tenho agora e é muito bom senti-lo", declara.

Após o dueto com Júlio César, o cantor Rômulo interpretou, no Musical Tropicália, sucessos como "Maracatu atômico", "Não identificado" e "Mas que nada". O artista acredita que o movimento, impulsionado por artistas como Caetano e Gil, foi muito rico para a composição musical e poética popular da época e continua a ser nos dias de hoje. "Graças à Tropicália, o Brasil abriu, para o mundo, as portas de nossa cultura", concluiu. 

O musical contou ainda com a participação da artista Carla Lisboa, que declamou o poema "Receita", de Nicolas Behr, um dos maiores expoentes da poesia marginal, movimento que surgiu no Brasil na década de 70 e foi fortemente influenciado pelo Tropicalismo.  

O Festival de Inverno em João Monlevade ocorre até o dia 14 de julho. Confira a programação completa no site do evento

Festival inverno ouro preto mariana tropicalia 2018 footer apoio