O grito do corpo nas ruas que falam

Local: ICSA - UFOP / auditório

Começa em: 09 de Julho de 2018, 09:30

Termina em: 12 de Julho de 2018, 12:00

Valor: Grátis

Descrição: Ministrante: Eduardo Batista Ator, bailarino, arte educador e pesquisador em dança teatro pelos moldes de Pina Bausch, iniciou sua capacitação em dança pelo curso livre no ID Investiga Dança em Ouro Preto licenciado e bacharel em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP , desenvolveu inúmeros cursos de capacitação em dança, artes plásticas e teatro físico. Como diretor teatral e gestor cultural fez parte da equipe da Associação Amigos da Cultura de Ouro Branco coordenando o projeto arte educativo “O teatro vai à escola” em parceria com o curso de licenciatura em artes cênicas da UFOP ministrando oficina de teatro e assinando a direção geral do espetáculo “ Ouro Branco no circuito” , um espetáculo teatral de rua englobando teatro e educação patrimonial, ( espetáculo que integrou a agenda cultural da cidade de Ouro Branco por três anos) , na Câmara Municipal de Ouro Branco , desenvolveu o projeto político educativo “ Câmara Escola” , que consistia na apresentação de forma lúdica, sobre o funcionamento do sistema político nacional para as crianças da rede pública e privada de educação, desenvolveu na Comunidade terapêutica Bom Pastor um trabalho de expressividade corporal , auxiliando no tratamento de dependentes químicos . Como ator participou de inúmeras montagens, sendo indicado como ator revelação pelo FRINGE, Festival Internacional de teatro de Curitiba, com a peça “ E nós que nem sabemos”, pelo Grupo moinho. Compôs o quadro docente do Colégio Batista Mineiro, ministrando aulas de arte e promovendo inúmeras mostras culturais mobilizando a cidade artisticamente, lecionando também no Colégio Carlos Drummond de Andrade e Centro Educacional Monteiro Lobato. Em 2014 apresentou seu trabalho de conclusão de curso como bacharel em interpretação pela UFOP ,com sua orientadora Renata Mara, o espetáculo A.mor(ôr) espetáculo de dança teatro aos moldes de Pina Bausch com uma linguagem regionalista apoiada pela obra Grande sertão: Veredas de Guimarães Rosa. Atualmente é diretor e proprietário da Núcleo – centro de danças e práticas corporais, espaço voltado para aulas de dança, teatro e artes no geral, situada em Mariana-MG Sobre a oficina: O grito do corpo nas ruas que falam é uma proposta de investigação em dança teatro preparada para a cidade de Mariana, que proporciona ao participante uma oportunidade de experimentação corpórea nos moldes da bailarina e coreógrafa alemã Pina Baush. A oficina se embasa na troca de experiências físicas e suscitação de memórias emotivas que se dialogam num formato performático onde tais experiências se permearam em espaços urbanos. A oficina oferece uma possibilidade de explorar o corpo com suas inquietações e sentimentos em espaços abertos, num diálogo com o corpo, o tempo e espaço explorando os sentidos e a energia que a rua nos traz. A oficina propõe como produto final uma apresentação de rua com a junção de movimentos trazidos ao longo do processo. Material do Aluno: Roupas confortáveis para atividades práticas; Período: 09 à 12/07; Carga Horária: 10h/a; Número de Vagas: 20; Faixa Etária: 14 anos. Inscrições: https://www.sympla.com.br/oficinas__308272

Festival inverno ouro preto mariana tropicalia 2018 footer apoio