ATIVISMO SONORO: CRIAÇÃO MUSICAL EM TEMPOS DE CRISE POLÍTICA

Local: Casa de Cultura e Juventude (Piedade) - Pra- ça da Piedade s/nº - Piedade - Ouro Preto.

Realização: dias 12 a 14, de 14 às 17h

Carga horária: 9h

Público-alvo: a partir de 16 anos

Valor da inscrição: R$20

Vagas: 30

Como criar música em tempos de crise política? Como resistir musicalmente aos discursos de ódio contra identidades marginalizadas, alvo de narrativas cada vez mais intolerantes diante da polariza- ção política no Brasil? Essas são as questões centrais da oficina “Ativismo Sonoro”, ministrada por Bartira Fortes. A cantorativista e compositora traz para o festival sua pesquisa realizada na Universidade de Estocolmo, Suécia, sobre a relação entre música e ativismo na crise política brasileira. A oficina visa oferecer um espaço para uma reflexão sobre essas questões urgentes, além de dar ferramentas para cada participante realizar uma criação musical a partir de um tema político-social-ativista de interesse. “Ativismo Sonoro” busca (des)construir as vozes silenciadas pelas opressões oriundas de uma estrutura heteronormativa, patriarcal e colonialista, a fim de (re)construir uma voz pulsante que surge da necessidade de resistir aos discursos de ódio que ecoam nas telas e nas ruas do Brasil.

As inscrições podem ser feitas na entrada principal do Centro de Artes e Convenções da UFOP, em Ouro Preto, de 9h às 19h. Quem não conseguir garantir a vaga pessoalmente, pode fazer uma reserva pela Internet. Para isso, envie uma mensagem com o assunto "Inscrição para oficina" para o endereço oficinasfestivaldeinverno@gmail.com. Inclua na mensagem: nome completo, número de telefone e seu endereço de e-mail.

Bartira Fortes: cantora, compositora, atriz, diretora de teatro e jornalista. Durante o bacharelado em Artes Cênicas na UFOP, desenvolveu pesquisa sobre a intersecção entre voz e movimento na cria- ção artística de cunho político, o que ela denominou “corpo sonoro engajado”. Em 2009, mudou-se para a Suécia e ingressou no mestrado em Ciências Estéticas e Performance pela Universidade de Estocolmo, onde iniciou uma pesquisa sobre a relação entre música e ativismo. Sua pesquisa deu origem ao projeto “Ativismo Sonoro”, que visa trazer à tona importantes questões e tabus sociais através da música. A repercussão positiva de seu trabalho musical-ativista realizado na Suécia levou a artista a receber o prêmio UGTv 2015 de arte, música e compromisso social. De volta ao Brasil, Bartira irá lançar o seu álbum IDentidades que vem contestar musicalmente o quadro de crescente intolerância e estigmatização da diversidade no Brasil diante da crescente polarização política em tempos de crise.